quarta-feira, 23 de maio de 2007

Aqui, neste misérrimo desterro (Ricardo Reis)

Aqui, neste misérrimo desterro
Onde nem desterrado estou, habito,
Fiel, sem que queira, àquele antigo erro
Pelo qual sou proscritoquerer ser igual a alguém
Feliz em suma — quanto a sorte deu A cada .
O erro de coração o único bem
De ele poder ser seu.

Um comentário:

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Adauto, estou descobrindo seus blogs porque postei em cores&palavras um poema de Joao Batista do Lago, nosso amigo commum na multiply, e fiquei maravilhado com sua alma poetica, voltarei com mais calma para visitar tudo como deve ser, como se diz xeretar ate mais nao. Um grande abraco, Namibiano Ferreira