quarta-feira, 23 de maio de 2007

Aguardo (Ricardo Reis)

Aguardo, equânime, o que não conheço

— Meu futuro e o de tudo.

No fim tudo será silêncio, salvo

Onde o mar banhar nada.

Nenhum comentário: